sexta-feira, 24 de novembro de 2017

[TEXTO] Viver é afogar-se?

         

         Você já se afogou? em um lago, rio, piscina ou no mar? o mais assustador sempre será no mar. Você está tranquilamente aproveitando o momento quando de repente o chão já não existe mais, a adrenalina faz o medo aparecer em menos de um segundo. Em quanto cai e se debate, até achar novamente um local de apoio a água inunda tudo a sua volta, em baixo da água tudo é escuridão e então você salta para cima em busca de ar, há um breve momento de luz em que sente que estará salva, mas volta a fundar na água, na imensidão.
           Já percebeu como afogar-se é parecido com o viver? a vida segue bela até que um momento o chão some e você cai, direto para o sofrimento, incerto e assustador. Você luta para emergir novamente, mas é inevitável retornar para dentro da água, e nesse momento tudo fica ofuscado, nada mais é nítido e um pavor enorme lhe devora. Em baixo nada faz sentido, direções são embaralhadas, sentidos perderam todos os seus efeitos. O brilho, estimulo e razão estão todos la fora, é preciso prosseguir até o próximo salto e sentir novamente o ar que enche seu pulmão de ar, de vida, de esperança, então você cai novamente no abismo destruidor, você pode se sentir fraquejar nesses períodos em que esta para baixo mas vai lutar com todas suas forças para sobreviver.
           Em ambos os casos é preciso sorte para sair ilesa dessa fatalidade, as vezes o instinto de sobrevivência fala mais alto e você consegue retornar onde a pé, para se manter fora da água ou para voltar a viver, há quem conte com ajuda de observadores, há quem não tenha tanta sorte.
          Você imagina que esse problema dura horas mas na verdade são segundos e quando chega o fim deseja nunca mais passar por isso novamente, que será mais cuidadosa, mas é inevitável perder o chão de vez em quando.

sábado, 21 de outubro de 2017

[TEXTO] O que você faria?

          


         Você para e se pergunta coisas estranhas relacionada a mim? Digo, em determinada situação você pensa em mim e como eu reagiria? Em como um assunto me faria sentir? No aqui? No agora? Você está vivendo sua vida e se vê mesmo sem querer pensado no que eu faria? Isso ou aquilo? 
            Acho que não estou me expressando direito, quero dizer que: Esses dias eu estava escutando uma radio, não por vontade, mas quando estamos em um ambiente público e está tocando algo é meio impossível privar a audição, que em alguns casos como esse, seria a melhor coisa a se fazer... Uma música horrível começou a tocar dessas novas que só fazem apologia a sexo e bebedeira, que infelizmente grudam na cabeça e o primeiro pensamento que tive foi em como você iria tirar sarro dessa música e falar que eu amava ela, você diria que ela era minha cara, mesmo sabendo que isso não é verdade, pois nossos gostos musicais eram parecidos, o que me levou a questionar se o nosso gosto ainda continuava o mesmo, se você ainda ouvia essas musicas, nossas bandas preferidas, nossas musica favoritas.
            Você está conseguindo acompanhar meu raciocínio? Talvez se eu me aprofundar mais um pouco fique mais fácil de compreender: Eu continuo amando livros e séries, você me conhecia o suficiente para entender o tamanho do meu vicio e necessidade por essas duas coisas, isso não mudou e na verdade me machucam um pouco, pois quando acontece algo surpreendente nas histórias eu me imagino te contando como fazia, você ia esperar concentrado enquanto eu perdia o fôlego de tanto relatar os detalhes,  ia me perguntar qual personagem eu gostava enquanto pegava em minha mão e fazia carinho, quem eram os casais mais legais, como a história parecia ser incrível, enquanto sorria para mim e me motivava a continuar. Se por um acaso eu ficasse tempo demais sem te contar algo você me perguntaria o que estava acontecendo na minha leitura. E são tantas vezes em que me pego lendo ou assistindo algo e imaginado o quanto você iria adorá-la.
        Talvez eu possa falar sobre um assunto muito próprio seu, assim fica mais fácil se encaixar na minha teoria. Assisti um jornal com uma reportagem sobre novos jogos eletrônicos e era um dos seus favoritos, pensei na hora no quanto você iria ficar feliz e focado, ia aumentar o volume da tv e prestar total atenção. Quando terminasse, olharia para mim e me explicaria melhor, pois na minha mente confusa eu ainda acharia mais legal sair atirando em todos, você ia rir e falar que assim perderia o jogo. 
       Então, eu vivo rodeada desses pensamentos, em todo lugar, em todo momento, sempre surge algo que me faz lembrar-se de você, um assunto que me remete ao seu encontro. Às vezes eu rio, na maioria das vezes eu choro, não pelas dores a nós infligidas, mas por perceber que a sua ausência me machuca muito mais. 

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

[TEXTO] Estrela cadente



        Essa é mais uma noite escura em que nada é capaz de me animar. Fecho os olhos, inspiro e expiro lentamente por três vezes, me ajuda a relaxar. Ultimamente estou tentando viver na calmaria. Ao abrir os olhos o céu continua escuro e sem estrelas, o que me faz lembrar da minha avó dizendo que quando o céu está sem estrelas no outro dia vai chover. Eu rio dessa lembrança exatamente quando o uma estrela cadente passa iluminando a escuridão noturna. O que me faz lembrar novamente dela falando que não pode apontar para a estrela cadente quando a vir, pois pode nascer uma verruga no dedo, mas pode se fazer um pedido, secreto. É assim que eu me lembro de você, do quanto a sua presença seria capaz de me devolver a alegria, eu preciso da minha felicidade novamente, você não a roubou, eu não a tomei de você também, ela só foi desaparecendo, acho que ela não vive longe de nós. Eu preciso do seu abraço que sempre me salvou da maldade do mundo, do seu contato continuo, leve, meigo e tranquilizador. Da necessidade de saciar meu desejo de te ver sorrir, de rir com você enquanto nossas conversas duravam horas. Quero essa saudade que fez morada em meu peito morra, se machuque, desabe, acabe assim que eu lhe veja novamente. Fecho os olhos e mentalizo o meu desejo com tanta intensidade, infelizmente nenhuma estrela cadente foi capaz de realizar os desejos que eu já fiz, mas talvez dessa vez ela se realize, é um dos mais impossíveis mas eu vou continuar desejando.

[TEXTO]Tudo vai ficar bem




       Tudo vai ficar bem! Tudo vai ficar bem! Tudo vai ficar bem! Talvez a repetição leve a perfeição. Dizem que mentalizar algo, com vontade mesmo, com toda força que o ser é capaz de sentir, elas acabam acontecendo.
      A vida parece um furacão onde ao redor o vendaval de confusão passa destruindo tudo, mas deve haver um pontinho de força, mesmo que balance, mesmo que fique instável e de tão cansada chegue ao ponto de se deixar levar pelo caos, dentro de si ainda há esperança. Esperança essa capaz de fazer seguir, com toda dificuldade. Tudo vai terminar bem!

[POESIA] Já faz tempo



Já faz um bom tempo 
Tudo ia bem 
Como retroceder?
Como voltar nesse tempo?
Já faz um bom tempo em que a tristeza inunda 
Eu não pertenço ao presente
Eu me acorrentei ao passado
Ao nosso futuro
Imprevisto
Impensado
Abandonado
Já faz um tempo em que seu coração virou borracha?
Eu me apaguei de você?
Ou você me excluiu da sua vida?
Os dias passam dentro da monotonia
Você não sai dos meus pensamentos
Todo dia
Toda hora
Todo segundo
Todo maldito respirar
Vou trocar a raiva pelos velhos sentimentos de bom grado
Eles nunca foram embora
Eles são seus
Eles são meus
Eles não nossos
Não suporto mais esse distanciamento cheio de silencio
Volto para sua vida
rastejando
Em nossa felicidade.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

[TEXTO] Ainda existe vocês

   

       Já era a décima folha que ela amassava e tentava acertar o cesto, talvez a vontade era de que as palavras fossem enterradas no lixo. Deixou o caderno cair no chão junto a velhas fotografias que ajudaram no alvoroço sentimental em que se encontrava, fechou os olhos tão forte que as pálpebras chegaram a doer, mas mesmo essa dor física era melhor que a dor no coração, cedeu ao cansaço e deitou na cama. As lagrimas brotavam como chuvas em uma tempestade, a musica do Arctic Monkeys ao fundo só tornava tudo pior, trazia lembranças de momentos que precisavam ser esquecidos, ela não era capaz de colocar todos os sentimentos, tudo que havia acontecido, tudo que estava engasgado e entalado em sua garganta, no papel elas pareciam apenas palavras mortas, e no peito ela sentia arder, sentia muito, sentia tudo que precisava desaparecer. Fazia anos e ela acreditava ter esquecido, mas de onde esse sentimento escapou? havia uma brecha por onde ele passou e veio para mostrar que ainda existia? E quando percebeu que ainda mexia com todo o seu ser, ela desmoronou. Era tão cômico pois estava e vivia o que queria, ela fugiu de você, e agora se encontrava de fronte aos velhos sentimentos.
         Ela virou o rosto e viu uma foto bem na beiradinha da cama, quase caindo, quase desaparecendo. Esticou o braço e a pegou antes que se fosse, e era a foto favorita de vocês, entre tantas fotografias essa fora tão especial, a primeira tirada, onde ainda havia um constrangimento hilariante, ficou encarando a fotografia com tanta sensibilidade, o que ela mesma sentia naquele momento, e como você havia prometido ficar com ela para sempre. Ela acreditou que esqueceria pois a raiva que sentia era tão grande, e você a conhecia o suficiente para saber o quanto de orgulho cabia naquele corpinho tão pequeno, mas ela ainda pensa em você, ainda vive você, ainda existe vocês!
        Desde que essa fagulha desesperadora reapareceu a estabilidade emocional está pendendo, ela sabe que não será capaz de terminar essa carta, e que nunca a enviaria. Senta na cama, a na frente o espelho mostra o vislumbre da antiga menina que vivia uma felicidade e não foi capaz de a proteger, agora a maturidade está lhe trazendo infelicidade em parcelas. Os papeis jogados no chão lhe mostram que não será fácil escrever, então pega a foto e coloca no envelope de envio, talvez apenas uma imagem seja capaz de transmitir tudo que precisa ser dito.
     

sexta-feira, 3 de março de 2017

[TEXTO] O fim, é a salvação?




        O problema é que essa maré de tristeza sempre volta, e não é a tristezinha boba, que dá e logo já passa, é a monstruosa mesmo, a devoradora de alma. Sabe aquela tristeza que lhe causa dor? que lhe sufoca? que faz você sentir vontade de desistir de tudo?
         É claro que a felicidade existe, mas não é feita de plenitude e constante como todos falam, ela é esporádica, alguns escassos momentos que aparece e lhe entrega uma cena fantasiosa, você acha que é feliz pois esse momento é bom, é tudo que você desejou ou apenas lhe causa satisfação, e por esse curto período ao decorrer do tempo, se sente completamente feliz. Mas por que, senhor, esse momento não perdura? não lhe engole nele e fica com você até o fim da vida?
          No fim a tristeza volta, e volta com tudo. Lhe traz todas e velhas lembranças ruins, a angustia volta a atormentar, a melancolia assombra novamente, a dor cresce de uma maneira exagerada, as vezes nem consegue sentir, seu corpo está anestesiado com tanta dor e você precisa se sentir viva de alguma forma, não é? É preciso causar reações em seu corpo, para que ele não definhe nesse estado de vazio. O vazio vem roubar sua paz, em todo canto, não existe nada que faça alguma razão. O silencio é uma variação de paz e de extremo tormento, pois o silencio chega a gritar, e sua alma tanto o seu corpo estão fragilizados e não aguentam mais nada.
         Há quem procure algum tipo de salvação no meio desse assustador sofrimento, mas existe pessoas capazes de enxergar um pouquinho do tamanho dessa dor? Você vai tentar, vai contar um pouco sobre sua tristeza, vai abrir seu coração, mas as respostas serão sempre as mesmas, VOCÊ É FRACA; lamentar para que? olha a vida ótima e incrível que você leva; tudo que você tem e outras pessoas não tem; elas nem um pouco disso tem; você é egoísta; eu, sim, tenho motivos para estar triste, você? não. Mas essas palavras duras são para o seu bem, são para você encarar a realidade e esquecer o drama, pois a vida é boa e é só continuar. Você, inevitavelmente, vai se sentir pior, pior que a pior pessoa existente no mundo, pois vai acabar acreditando nessas palavras que acham ser verdade, a culpa não é delas, na verdade, elas apenas não lhe compreendem, e você estará errada, sempre. Mas você NÃO está errada, e a tristeza está ao seu lado para lhe mostrar isso.
       Você vai acabar se fechando, se encolhendo perante o mundo e pelas pessoas, vai se tornando invisível, em estado de vida perfeita pois tentar se expressar não resolve, você procurou por alivio, conforto e encontrou mais motivos para se sentir mal. Mas se você tem alguma pessoa que te escute e lhe diga uma palavra de compreensão, então levante as mãos para o céu e agradeça, e, nunca deixe essa pessoa escapar, ela pode nunca mais voltar...
         Tão sentimental, tão dramática, tão exagerada. É o que querem que você acredite que seja, mas não é assim, né? Já segurou tantas e boas, foi a mais forte e dura que conseguiu, aguentou até o limite, se está desmoronando é porque não consegue mais suportar, esse fardo está excessivo e você precisa se libertar.
          Empatia é o sentimento mais raro existente, e não se sinta mal por isso, nada que falem vai lhe devolver a alegria novamente, a tristeza é magnética e vai voltar para a sua amada. Não queira que outrem entenda um sentimento que é só seu, ninguém será capaz de compreender o que está passando, que o que você só consegue sentir é a dor. no corpo, na alma. O abismo entre viver e sobreviver vai continuar existindo, você o conheceu faz tempo ou ainda vai conhecer, mas nunca vai se livrar dele. A vontade de não sentir mais nada vai ser enorme, de deitar e descansar, sem se preocupar com nada, não sentir, não existir... Mas eles estão certos, você é fraca, e adia uma certeza absoluta, uma hora ou outra vai acontecer e você não terá culpa, lutou até não aguentar mais, até o fim.
         Talvez a salvação esteja no fim...