quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

[RESENHA] ENQUANTO MINHA QUERIDA DORME - Mary Higgins Clark



Título Original: While My Prette One Sleeps
Título: Enquanto Minha Querida Dorme
Autora: Mary Higgins Clark
Editora: Círculo Do Livro
Páginas: 224
Ano: 1992
Nota: 5/5


          Eu simplesmente adoro pegar alguns livros no escuro e enquanto leio acabo me perdendo entre eles, esqueço que existe mundo e nado na lentidão do tempo, e no final sou surpreendida pela história. E foi isso que aconteceu com esse livro, sem saber nadinha acabei me surpreendendo com todo o desenvolvimento.
         Mistérios e suspenses estão ao lado do terror no meu coração, amo ficar imaginado o desenrolar dos fatos e quem são os verdadeiros monstros das histórias. Aqui deu para variar bastante os suspeitos e enfim descobrir o verdadeiro.



          A história começa com o assassinato de Ethel, uma escritora renomada que em vida foi muito desbocada e intrometida, sempre trabalhando para as verdades dos fatos mesmo que envolvessem pessoas poderosas. Vemos a pessoa encobrindo a morte dela, ele escolhe uma de suas roupas finas e esconde em um buraco na floresta, com o intuito de a neve esconder o corpo, porém há alguém esperta ao ponto de descobrir esse desaparecimento.
          Neeve é uma jovem trabalhadora, conseguiu montar sua loja de roupas e se tornou muito importante e reconhecida no mundo da moda, teve alguns relacionamentos mas nada que a fizesse querer se entregar a um relacionamento mais sério. Seu pai Mylles era um ótimo comissário da polícia, agora aposentado devido a um infarto, ao resolver um caso de grande repercussão acabou levando o mafioso Nick Sepetti para prisão, e é quando ele o ameaça e uns dias depois sua esposa é morte. Mylles sempre achou que o mandante do assassinato foi nick e sempre temeu pela vida de Neeve.



          Ao decorrer da história achamos que quem matou Ethel foi Seamus, seu ex marido. A separação foi conturbada pois Seamus estava bem de vida e queria se livrar da maldade sua sua esposa, prometeu dar uma pensão vitalícia de mil dólares para poder se livrar dela.
          Porém os anos não foram amigáveis para Seamus e sua nova família como foram para a rica Ethel,  agora ele tem que custear três filhas na faculdade e segurar as despesas de seu decadente restaurante.
           Neeve era consultora de moda particular de Ethel, já que ela não tinha tempo e não entendia bem de moda. Neeve tinha mais uma remessa de roupas para entregar a Ethel porém ela não deu sinal no dia marcado e nem nos próximos. 

    
          
          Ao decorrer dos dias Neeve vai ficando preocupada com Ethel, apesar de toda excentricidade e da possibilidade de ela ter viajado ela não sairia sem nenhum aviso. Neeve pede ajuda para a empregada e entra alguns dias no apartamento para uma investigação e é em uma dessas visitas que elas encontram Douglas, sobrinho de Ethel que vivia na pindaíba, pulando em trabalhos e algumas vezes roubava sua tinha que escondia dinheiro pela casa. Ele conta para as duas que Ethel tinha marcado um encontro com ela porém não apareceu, dai ele ficou no apartamento dela esperando. 
          O tempo passa e vemos Seamus se remoendo por algo, achamos a todo instante que é pelo assassinato, sua mulher Ruth cansada com a vida que levam o fez parar de pagar a pensão que faz muita falta para eles, fala para ele criar coragem, o que o fez ir falar com Ethel que não pagaria mais nada. Ele com medo faz o cheque e leva a carta que fez de agrecimente e com o nervosismo acaba entregando os dois. 




          Neeve tem certeza que algo de errado aconteceu pois vê o guarda roupa de Ethel praticamente intacto, ela sumiu durante uma forte nevascs e mesmo assim não levou casaco, fala com seu pai mas ele não da muita importância a isso.
          Depois de uns dias o corpo de Ethel é descoberto, seu sobrinho é o primeiro avisado e designado a reconhecer o corpo e Neeve a ir reconhecer a roupa o que a faz ficar a pulga atrás da orelha, já que a roupa foi vendida por ela porém tinham substituído  o look por outra blusa que combinava mais e não a que ela estava usando. 
          O principal suspeito é Seamus que a cada página se enrola mais nesse fato, sua mulher para tentar ajudar acaba pegando a carta e roubando a adaga que Seamus falou que tinha tirado da mão de Ethel quando ela tentou lhe atacar. 
         Neeve tem a ajuda de Jack um editor que conheceu há alguns anos em um vôo. Seu pai aos poucos acaba entendendo as suspeitas de sua filha, tenta investigar e analisar toda a situação. 




          Com uma escrita fantástica ficamos ansiosos pelo desenrolar da história, Neeve é determinada em tudo o que faz e não desiste só vendo as respostas tão limpas serem entregues.
         Apesar de toda decadência na vida de Seamus acabamos entendendo seu medo e nervosismo, nem tudo é o que aparenta ser.
         Apesar de uma vida profissional fabulosa Ethel era solitária, não teve todo amor que queria e se entegou ao serviço de desvendar os podres das pessoas. 
         A confiança e a ganância são elementos fundamentais de toda a história, acreditar em alguém que sabe manipular e enganar é o que trás toda dor para a família de Mylles.
        As últimas páginas são de tirar o fôlego, não da para acreditar com a verdade. A escritora conseguiu me dar uma enroladinha, escolheu tão bem o assassino e sua história.




Frase de interpretação 
           "Algo estranho acontece e mesmo sendo um ato imaginado perfeito existem pontos soltos, capaz de revelar velhas verdades."

3 comentários:

  1. Ameii, Cin! Vc também escreve super bem, parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Annnnw obrigada, minha linda.
      Tento escrever apenas rsrs
      Beijinhos

      Excluir
  2. Ameii, Cin! Vc também escreve super bem, parabéns!!!

    ResponderExcluir

Seja coerente